quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Eles não sabem nada

Eles não sabem da minha poesia
E se soubessem
Não entenderiam

Eles não sabem nada
Nada de mim
O que eu faço
O que como
O que bebo
O que gosto

Não sabem da minha alegria
E que longe deles
Meu sorriso é escancarado

Eles não sabem
Que eu canto
Que eu danço
Que eu brinco
E que eu sonho

Desconhecem meus desejos
Eles não sabem
Nada de nada

O que penso
O que quero
O que vejo
O que sinto
Eu prefiro
Que eles ignorem

Eu não preciso deles
Preciso da verdade
Dos que me querem bem

29.10.2009

Um comentário:

Meu cabelo não nega disse...

Muito bom lhe "ver" por aqui!!!

Um beijo grande!!