quarta-feira, 22 de abril de 2009

Colégio São João Batista


Hoje eu passei na calçada do colégio onde estudei por anos.
O “meu colégio” já não existe embora funcione outra escola no prédio.
Em questão de segundos um filme passou na minha cabeça e eu pude lembrar:
Dos colegas da época,
Dos professores (alguns já falecidos),
Do cheiro das flores do pé de acácia que não existe mais,
Do frio matutino que foi banido da cidade,
Do meu jeans surrado e justo que me fazia sentir o máximo,
Dos namoros e paqueras,
Da liberdade adolescente,
Das canções da época,
Do primeiro beijo,
Do primeiro amor,
Da primeira fossa,
De olhar as estrelas no telhado,
De procurar óvnis e estrelas cadentes,
Da casa cheia de amigos,
Das cantorias e do violão,
De me arrumar para sair,
De dançar a noite toda
Até o tango tocar,
Das recomendações dos meus pais,
Da falta de grana que não fazia falta,
Da minha alegria desmedida,
Do meu jeito de menina
Dos meus laços, babados, bordados,
De ser arroz e bombom de festa,
Dos banhos de rio, da praia,
Do meu corpo perfeito (e eu nem percebia...),
Dos lugares aonde eu ia,
Aonde todo mundo se encontrava,
De ver o por do sol todos os dias
Porque cada dia era diferente.
Da minha inocência
De achar que seria para sempre...

4 comentários:

KEILA disse...

Nossa Charmene, com suas recordações, me fez recordar também. passei anos simplesmente extraordinários nesse colégio que para mim era a minha segunda casa. Pena deixarem morrer desse jeito. Como sonhei que o meu filho pudesse estudar nele também... ficou somente as lembranças... essas !"graças a Deus", ninguém pode deixar morrer". Adorei a sua mensagem. Bjinhos....

marco disse...

Emocionante!

Melita disse...

Tempo bom aquele!

mandala disse...
Este comentário foi removido pelo autor.